Dani Romanesi: a arte da macrofotografia agora em nova fase com o NFT

A fotógrafa e artista NFT Dani Romanesi tem um trabalho reconhecido e de referência no mercado. Suas fotos trazem um apelo artístico e ela encanta clientes com suas obras de macrofotografias. Nos últimos tempos ela está completamente imersa na tendência do NFT e é uma das brasileiras em destaque dentro da comunidade Sloika. Aliás, recentemente ela vendeu sua primeira obra por lá. Dani contou sobre seu trabalho e essa nova fase. Em tempo: Dani Romanesi é palestrante confirmada na Feira Fotografar. 

Confira a entrevista.

FHOX – Como define seu trabalho hoje e o que mudou de 2019 para cá?

Dani Romanesi – Eu utilizo a macrofotografia artística para extrair pequenos detalhes da natureza e minha busca é por trazer sensações e sentimentos através dessas percepções de elementos, cores e composições. É um trabalho que me traz muita realização e se completa com a possibilidade de conectar as pessoas ao compartilhar. De 2019 pra cá tivemos uma pandemia e as pessoas ficaram mais em casa e foi um período onde as pessoas passaram a cuidar mais de seus ambientes. Eu senti um aumento na procura de quadros para melhorar o astral dos espaços. Agora estou com meu olhar voltado também para o mundo do NFT.  Na prática não sinto diferença em minha forma de trabalhar e criar, mas há um movimento diferente no mercado que requer minha observação e atenção nesse momento. 

FHOX – Como vê esse mercado NFT e como está sendo para você?

Dani Romanesi – Um universo de novidades e descobertas. Nos últimos meses eu mergulhei em aprendizados. Tudo muito novo pra mim. Tenho buscado aprimorar o entendimento e me conectar com as pessoas para abrir conversas sobre o assunto.

Ontem realizei a primeira venda depois de 2 meses do lançamento da primeira coleção. É uma experiência interessante. Conversando com o colecionador, pude entender alguns aspectos que motivaram a compra e quais outras fotos da coleção despertaram a atenção dele.

Acredito que essa proximidade com o colecionador é algo inusitado no mundo da arte. Vejo o mercado NFT diminuindo barreiras entre a arte e seu destino final. Ao mesmo tempo que já nasce extremamente competitivo e exigente que artistas tragam seu melhor e extrapolam sua criatividade. Me agrada perceber esse mercado extremamente transparente, onde as negociações estão visíveis a todos. Bom também aprender com uma comunidade muito colaborativa. Sinto que é um novo momento cheio de oportunidades para a arte e desenvolvimento para os artistas. 

Fotos: Dani Romanesi

FHOX – Qual o grande desafio para quem entra nessa área de NFT agora?

Dani Romanesi – Acredito que o grande desafio é mostrar o trabalho para uma nova comunidade, trazer para perto possíveis colecionadores, conquistar a simpatia da comunidade através de um trabalho consistente e artisticamente atraente e gerar valor. Há muitos aspectos envolvidos. Entendimento sobre o mercado, a moeda, posicionamento, marketing.

FHOX – Está criando para isso exclusivamente ou pensa em rever projetos para relançar como NFT? Dani Romanesi – Por enquanto eu não criei nada específico direcionado ao mercado NFT. Estou trabalhando com minhas imagens e coleções e tentando entender como elas podem funcionar. Mas eu também não sei se preciso fazer algo direcionado. Acredito que há espaço para todos os estilos fotográficos. Acho importante manter minha conexão com a fotografia como ela acontece pra mim e me manter coerente na minha criação. 

FHOX – Acredita que esse mercado vai crescer no Brasil?

Dani Romanesi – Com certeza, já está crescendo e se desenvolvendo. Mesmo engatinhando ainda, sinto que isso é uma tendência mundial e que será muito bem construída pela infinidade de artistas incríveis que temos no país. É uma nova oportunidade de negócio na arte e na fotografia em todo o mundo. Já sinto que o mercado brasileiro está envolvido e ampliando cada dia mais a atuação no NFT.

Iniciativas como a do Leo Saldanha, instruindo e aproximando pessoas em torno desse assunto tem feito muita diferença pois estamos caminhando juntos, aprendendo e entendendo como tudo funciona. Tenho visto alguns outros grupos contribuindo com informação e desenvolvimento do NFT no Brasil.