Um alerta sobre a saúde mental para quem vive da fotografia

Estudo internacional indica que 25% dos fotógrafos enfrentam algum tipo de transtorno mental

A pesquisa foi destaque no site DIY Photography e mostra que o que já era um problema antes da pandemia ficou ainda pior. A pesquisa é da empresa ImagemAI em um estudo de Scott Wyden Kivowitz. Os pontos que pesam na saúde mental envolvem desde a quantidade de trabalho até questões como clientes complicados e qualidade de vida. Antes da pandemia 1 em cada 10 profissionais tinham algum nível mais grave de problema afetando a saúde mental e depois da pandemia esse dado subiu para 1 em cada 4 fotógrafos.

A matéria da DIY Photography define de forma clara o que é saúde mental: é sobre bem-estar emocional, psicológico e social. Afetando como pensamos, agimos e sentimos tudo. Algo que determina como lidamos com estresse, relacionamentos e também sobre fazer escolhas saudáveis.

Embora a fotografia até ajude em questões como “estar presente” e também envolve prazer no ato de fotografar, são os pontos profissionais que afetam com força o equilíbrio da saúde mental. O que impacta na rotina do trabalho da fotografia:

  1. Fadiga com a rotina dos trabalhos redundantes de fotografia

  2. Trabalhos que se acumulam

  3. Incerteza quanto a receitas futuras com trabalhos de fotografia

  4. Preocupações em cuidar dos filhos e ao mesmo tempo tocar o negócio de fotografia

  5. Muitos fotógrafos não tem qualquer suporte e atuam como empreendedores solo sem nenhuma garantia ou segurança financeira

A ImagenAI realizou uma pesquisa perguntando aos fotógrafos quais problemas de saúde mental enfrentam. Quase 27% deles experimentam ansiedade, e o estresse fica logo atrás com 25%. Falando em estresse, pode se manifestar como uma série de sintomas físicos, e a longa exposição ao estresse pode levar a diferentes doenças mentais e físicas.

A lista continua com 13,4% dos fotógrafos relatando problemas de sono, e 6,4% entram em depressão e ataques de pânico. 4,8% das pessoas dizem que se sentem solitárias, e 2,1% experimentam problemas de raiva e TOC.

A gestão do seu tempo – A equipe por trás da ImagenAI também pesquisou quanto tempo a fotografia ocupa na vida dos fotógrafos versus edição de fotos. “Estimamos com base em nossos registros que os fotógrafos passam cerca de uma hora e meia manualmente editando fotos para cada uma hora de fotografia”, diz o artigo. Na prática isso significa que se você passar 8 horas fotografando, significa mais 12 horas de edição de fotos. Imagine então se considerarmos outros afazeres da vida profissional: marketing, gestão, relacionamento, etc. E sem esquecer da vida pessoal.

Onde encontrar ajuda – A partir do estudo, fica claro sobre a importância de buscar ajuda. Um dos caminhos é contar com o apoio de iniciativas realizadas por organizações específicas. O próprio estudo indica a realização de exercícios físicos, alimentação saudável, cortar bebidas alcoólicas, fazer pausas regulares e fazer atividades prazerosas, descansar, entre outras coisas.

Encontrei esse link que traz uma série de opções para ter ajuda online (de graça). O que já é um primeiro passo importante para encontrar o equilíbrio da saúde mental. Atendimentos online – Mapa da Saúde Mental (mapasaudemental.com.br)