Por que NFTs tem valor?

Um dos questionamentos mais frequentes que recebo é sobre o valor da tecnologia e o que leva um NFT a ter valor de fato





A melhor forma de responder isso é com base em fatos e com a ajuda de especialistas. O livro The NFT HandBook (2021, de Matt Fortnow) tem todo um capítulo dedicado ao assunto. Aliás, ele trata do assunto com a explicação das pessoas estranharem NFTs. Afinal, nós nos acostumamos com conteúdo grátis na internet. Tudo grátis e aí surge uma tecnologia que nos diz que devemos pagar (e pagar bem) por JPEGs?!? Tudo é grátis na internet. Por sinal, a fotografia digital foi afetada por esse comportamento na minha visão.


Mas antes de entrar na questão do valor...importante entender algumas coisas:


- O que é um NFT? É um ativo digital único, autenticado na tecnologia blockchain (descentralizada e registrada) que garante a autoria, autenticidade e posse devido aos registros. A tecnologia por trás do NFT é a mesma envolvida com as criptomoedas.


NFT garante valor automaticamente? É um botão mágico que ao converter a obra em NFT vai fazê-la se tornar valiosa? Não. Para garantir sucesso e valor, o NFT (no caso uma obra como foto ou vídeo) requer atributos. São eles:


1 - Uma história consistente, verdadeira. O autor e a obra precisam de contexto e ter apelo. Ou seja, tanto os artistas quanto a sua criação precisam gerar conexão com o que foi criado para o NFT. Aqui outra forma de encarar isso é o valor do seu "porquê".

2 - A reputação. Essa parte é fundamental e leva tempo. Ou o artista cria ou já tem. Logo, para quem tem marca reconhecida isso é uma vantagem. É por isso que vemos grandes nomes da fotografia levando projetos e lançamentos de coleções NFT para seus ambientes. Por outro lado, da mesma forma vemos novos talentos surgindo que estão conseguindo criar reputação para essa nova fase de valor da fotografia NFT.

3 - O potencial de valorização no tempo da obra NFT. Pois para os colecionadores isso representa chance de que o investimento vai crescer em valor no tempo. E no caso dos NFTs é algo vantajoso também para o artista, pois na revenda ele ganha de novo (no universo NFT negociações futuras garantem royalties).


Contudo, no livro ele indica os fatores que levam um NFT a ter valor. São pontos que merecem atenção:


1 - Prova de origem. Algo que vale para a arte, para colecionáveis digitais e tudo referente aos ativos digitais únicos. O NFT dá ao item (seja ele qual for) um guia de validação e autenticidade. A prova de origem garante ao colecionador/comprador que aquele item é do autor. Trata-se de um documento autenticado que garante que ambas as partes estão cobertas quanto a autenticidade da obra. Não muito diferente do que ocorre com obras de arte físicas tradicionais. A diferença é que a tecnologia blockchain em conjunto com as plataformas é que faz esse papel de "garantidor".

2 - A importância histórica da obra ou contexto que dá a dimensão da criação. Quando foi criada, por essa razão, coleções NFT com fotos históricas chegam com vantagem de preço ou porque o artista também é reconhecido, tem nome renomado. No livro, o autor diz que a ligação sentimental do artista com sua criação também conta. Essa conexão atrai colecionadores porque eles se conectam também com esse valor.


Outro ponto que ele destaca é sobre o mistério do valor de colecionáveis mesmo antes dos NFTs surgirem. Pois trata-se de algo que existe faz muito tempo: coleções de selos, moedas, gibis e por aí vai. E em muitos casos são coleções que valem muito!


A questão do valor dos NFTs também está relacionada com a garantia dessa autenticidade. Pois no mundo da arte e mesmo das colecionáveis falsificações sempre foram um problema. A tecnologia com o NFT resolve