O valor da autenticidade para os negócios e o marketing na fotografia

standing woman surrounded by yellow flower field during daytime

Noah Buscher


Por Camila Vedoveto

Diante da pressão atual, se destacar na fotografia não basta mais (isso você já deve saber) e, diferente de tempos atrás, entender que não existe verdade absoluta se faz super necessário para se reinventar à tempo de acompanhar as rápidas mudanças do mercado.

Entendo ser difícil acompanhar e sei o quanto isso leva a buscar soluções mágicas e acredite : elas não existem, não existe atalhos! O trabalho é duro e mais do que nunca te cobra consistência, paciência e adequação as mudanças.

Você está competindo o tempo todo agora não é só com fotógrafos, mas com todos os usuários das redes sociais que ali estão: Puglieses e Kardashians e isso torna tudo mais difícil.

Afinal como mostrar seu trabalho de maneira interessante para prender a atenção?

Dentro da busca para essa resposta muito se publiciza em cima de teorias obsoletas, como a Inversão de risco, por exemplo, que embora possa funciona a curto prazo também oferece muitos danos a imagem da marca e exige muito overbooking para equilibrar o caixa ( já que muitos clientes podem não comprar).

Mas uma coisa é inegável: o que faz as empresas – influencers digitais serem o hit do momento é justamente a exploração de uma imagem de uma persona CPF em detrimento da imagem fria de um CNPJ.

multicolored hand paint

Foto: Sharon McCutcheon


As pessoas compram pessoas e isso está exigindo cada vez mais que você torne seu estilo de vida como parte do seu marketing e dos valores que sua marca defende.

Esse é o movimentos de grandes empresas inclusive. Elas estão cada vez mais pessoalizando e colocando personalidade na sua persona : Netflix, Magazine Luiza, etc… As que não o fazem contratam as influencers digitais, atrizes e atores para serem a cara da marca e a pessoalizarem por eles.

O marketing hoje é pautado na pessoa e não mais na oferta, ser o seu melhor e explorar suas individualidades pode ser um ótimo caminho, mas não existe caminho infalível, existe experimentação!

E como fotógrafos a pessoalidade já está intrínseca. Afinal você conta a história das pessoas o tempo todo e através das imagens conta muito sobre você também – então ser você mesmo e colocar mais ser humano ( vulnerabilidade e tudo o que o pacote tem direito) é o que tende a funcionar!

A sede de algo de verdade, gente de verdade é cada vez maior e é dessa fonte que se quer consumir, portanto esqueça tudo o que você visualiza de mecanizado e gravado em uma longa ligação de telemarketing com música no fundo, quando pensa em uma empresa.

É possível perceber que única constante é que as coisas vão mudar e se houver uma pandemia – elas vão mudar mais rápido ainda. E você está preparado para se adaptar?