Nikon vai deixar de produzir as DSLRs?

Notícia é destaque nos principais sites de tecnologia e fotografia do mundo. Fabricante supostamente iria concentrar esforços nas mirrorless mas já desmentiu a especulação

O assunto foi destaque de conteúdo recente do site de economia e negócios japonêns Nikkei. Segundo consta, a Nikon ainda vai produzir e distribuir modelos atuais, mas desenvolvimentos futuros e melhorias serão só para as câmeras mirrorless.

A Nikon já divulgou um comunicado dizendo que tudo não passa de especulação. “A Nikon não fez nenhum anúncio a este respeito. A Nikon continua a produção, vendas e serviços de SLR digital. A Nikon agradece o apoio contínuo.”

O fato é que não nenhuma surpresa a estratégia da marca e de outras fabricantes de colocar os esforços nos modelos premium e sem espelho.

O site Engadget destacou: a Nikon deixará de desenvolver novas câmeras reflex e se concentrará exclusivamente em modelos sem espelho, de acordo com um relatório da Nikkei. A notícia marca o fim de uma era e essencialmente confirma o óbvio. Basta lembrar que desde a D6 saiu em junho de 2020 que a marca não lança nada novo para o sistema. A informação é que a Nikon continuará produzindo e distribuindo DSLRs existentes como o D6 e o D3500.

A Nikon lançou sua primeira câmera reflex, a Nikon F, em 1959. Foi uma das câmeras mais avançadas de sua época, graças a recursos como um grande suporte de baioneta, botão de visualização de profundidade de campo, obturador de plano focal de titânio, design modular e muito mais. A primeira SLR digital profissional da empresa foi o D1 de 2,7 megapixels, lançado em 1999.

As câmeras SLR usam um espelho e prisma para dar ao usuário uma visão óptica direta através da lente da câmera, com o espelho saindo do caminho quando a foto é tirada. Câmeras sem espelho, em contraste, levam luz diretamente da lente para o sensor e dão ao usuário uma visão através de um visor eletrônico ou display traseiro. Câmeras mirrorless permitem corpos mais compactos, reconhecimento avançado de objetos de IA, recursos de vídeo melhorados e muito mais.

A Nikon demorou para entrar no sistema de forma mais robusta. Foi só em 2018 que a fabricante lançou modelos mais profissionais de câmera sem espelho com série Z. As vendas globais de câmeras caíram drasticamente em apenas cinco anos, com as câmeras de lente intercambiáveis (mirrorless e DSLR) caindo de 11,67 milhões de unidades vendidas em 2017 para 5,34 milhões até 2021. Isso forçou empresas como a Nikon a concentrar seus esforços nos modelos mais rentáveis. A divisão de imagens da Nikon agora ganha metade do seu dinheiro com modelos sem espelho, com os SLRs representando 30%.

#fotografia #mercadofotográfico

0 comentário