Não, não dá para você atender todo mundo!

“eu atendo todo mundo” não é uma segmentação realista. Eu atendo um determinado grupo específico também é arriscado


No marketing saber quem é seu público é fundamental, mas estabelecer que você vai atender “mulheres de 30 a 40 anos que atuam na cidade e das classes A e B” não funciona mais. Sobretudo na fotografia.

“Eu fiz isso para você” e é bem diferente de “eu tenho isso para você”. Uma diferença que veio com o ajuste na forma de se fazer negócios em qualquer segmento. As pessoas obviamente querem algo feito para eles. Isso tem relação com personalização. Logo a primeira pergunta para você é simples:

Quem é seu público? Se você disser que é todo mundo que curte fotografia ou de pessoas que gostam de momentos eternizados estamos começando mal.

Em um mundo tão conectado, mostrar cuidado e atender de forma pessoal é o melhor marketing que existe


Já abordamos isso antes nesse episódio do FHOXCast: a estratégia do menor mercado viável. Na prática é definir o mínimo que você precisa de consumidores para que seu negócio seja economicamente sustentável. Então a pergunta correta nesse caso é:

Quantos clientes você precisa no mês ou no ano para ter um negócio viável. E crescer aos poucos de forma orgânica. Alguns vão responder que precisam de 4 sessões de fotografia no mês de um determinado estilo. Outros dirão que precisam de 40 casamentos ano. E por aí vai. É uma dinâmica bem distinta de vender para todo mundo o tempo todo.

Definir pessoas para atender com base em perfis fixos é injusto. Os consumidores querem ser tratados de forma personalizada


Determinar o público ficou muito mais complexo na definição de segmentação. Quem são as clientes que podem se encaixar no seu menor mercado viável. Digamos que são 10 mães por mês. Digamos que elas tenham bebês e que poderiam ter um acompanhamento mensal ou trimestral. Elas são iguais? Daria para dizer que a “persona” vale para todas? Eu creio que é limitante. De forma concreta será que você não poderia se desafiar a ouvir cada cliente? Entender o que elas querem e como querem em termos de fotografia? Criar algo para elas. Claro, temos outra pergunta mais importante do que essa antes disso. Como é que vou conseguir essas dez clientes? Para quem está começando essa é uma dúvida latente que aparece o tempo todo. Como? Não tem botãozinho que você aperta e faz o cliente surgir do nada. Não tem fórmula mágica. Aliás, as pessoas não acordam dizendo: “nossa, hoje vou comprar uma sessão fotográfica urgente!”. Temos que ser sinceros nesse ponto. A trilha para os clientes passa pelas seguintes etapas:

1 – Você tem um produto ou serviço atraente?

2 – Você sabe onde seus clientes estão?

3 – Você tem parceiros ou possíveis parceiros (físicos ou digitais) para abordar e fazer uma oferta de parceria?

4 – Você tem a mensagem para divulgar no canal de presença dos clientes?

5 – Você tem uma identidade que se adequa com o perfil dos clientes?