Legado: a grande causa do produto impresso na fotografia

Responda rápido: o que um artista celebrado na fotografia, um talentoso e destacado fotógrafo de família e uma referência na foto de natureza tem em comum?

A resposta é que eles imprimem. Talvez a melhor forma de ilustrar isso seja com o grande expoente da fotografia, Sebastião Salgado. Ele está neste momento com uma nova exposição rodando aqui no Brasil. Uma verdadeira experiência que reúne obras impressas com a mais alta qualidade de impressão. E para completar ele lançou um livro com o mesmo tema: Amazônia. O exemplo de Salgado é só um dos muitos que poderíamos dar. Do retratista renomado ao fotojornalista lendário. Todos deixaram seus legados no papel. Vale em jornais, revistas, exposições, em fotos para colecionar ou decorar. Vale no álbum ou no livro fotográfico. Na fotografia social e de família não é diferente: o legado está lá em álbuns, fotolivros, fotopresentes, decoração com fotos e por aí vai. A grande questão é: legado para quem mesmo? Na minha visão é para quem vê e tem contato com essas obras. Sejam elas familiares ou do grande público. 

Curiosamente, o novo marketing alardeado por grandes nomes mundiais especialistas no tema deixa claro: fazer marketing é mudar a cultura e criar para pessoas. Fazer marketing em 2022 é sobre criar algo para alguém, algo que vai ficar e fazer isso sem esquecer da tecnologia. Ou seja, é legado para as pessoas combinar o analógico com o digital. Tudo para que as pessoas que serão atendidas pelo nosso trabalho tenham algo que fica! Uma obra com fotografia.

Legado é sinônimo de patrimônio – Uma foto digital incrível é marketing, mas ela dura na mente quanto tempo? Na sociedade líquida que vivemos tudo em tempo real ela dura algumas horas (com alguma sorte, alguns dias). Referência real? só quando vai parar nos livros e nos produtos físicos que sejam gerados por ela. Uma provocação: se os filhos de um fotógrafo lendário recebem a herança ela é entregue como? fotos em arquivos ou impressas? herança é sinônimo de legado. Patrimônio da mesma forma. O que um fotógrafo, loja de foto, estúdio e qualquer empresa do nosso ramo cria e deixa para as pessoas é um patrimônio palpável e altamente emocional. As memórias da viagem, do evento inesquecível, da conquista da família, da minha autoria premiada. A dimensão da foto só ganha essa capacidade de transmissão de valor quando entregue no produto final. Do contrário, é um patrimônio digital tão consistente quanto um castelo de areia na beira da praia. Se bem feito nesta parte do produto, o legado tem esse valor inestimável para a sua marca e sobretudo para as pessoas. Afinal, são imagens no papel criadas para elas e sobre elas.

Esse é o melhor momento para investir e (re)criar seu produto na fotografia. Isso porque nunca tivemos tantas opções e oportunidades para faturar com fotografia e ainda deixar um legado para quem vamos servir. Precisa de ajuda com isso? Então veja isso >>> Hora de (re)criar seu produto com o P.I.C. Foto+Produto – FHOX

#fotografiaimpressa #fotonopapel #fotopresente #fotografia #marketingparafotógrafos #mercadofotográfico