IMAGINÁRIA_festa do fotolivro anuncia vencedores do Prêmio Lovely’22

A IMAGINÁRIA_festa do fotolivro anuncia os projetos ganhadores do Prêmio Lovely’22 de sua segunda edição. Organizada em duas categorias, Fotolivro e Fotozine, a iniciativa visa o fomento à experimentação, ao desenvolvimento e à circulação de publicações impressas como suporte incontornável da fotografia contemporânea no Brasil. O comitê formado por Carolina Cattan (fotógrafa e editora), Eder Ribeiro (curador e artista visual), Felipe Russo (fotógrafo, professor e editor), Ioana Mello (curadora independente) e Marcela Bonfim (fotógrafa e economista) analisou 78 projetos inéditos de 14 estados brasileiros como São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Ceará, Amazonas, Minas Gerais, Pará, Pernambuco e Distrito Federal, e elegeram três ganhadores para cada categoria.

Entre os projetos de Fotolivro, foram selecionados Carta de despejo, de Cícero Costa Cine Casa, de Régis Amora; Cura Áspera, de Léo Sombra; Deserto, uma excursão, de Solange Quiroga; F.Ilha, de Michelle Bastos; Inculpáveis, de Estefania Gavina; Tempo Esculpido, de Flavia Sampaio; e Tudo pode ser escombro, meu amor, de Marília Oliveira. Destes, o comitê elegeu Cine Casa (1º lugar), Inculpáveis (2º lugar) e Carta de despejo (3º lugar).

Na categoria de Fotozine, foram selecionados os projetos It´s Part of Me, Apart From Me, de Ricardo Libertino; Caça às Palavras, de Márcia Charnizon; Nova Topografia Tropical, de Guilherme Freire; e Queime depois de ler, de Julia Pupim. Os três últimos foram reconhecidos, respectivamente, com o 1º, 2º e 3º lugar.

“Demos ao corpo de jurados a missão de eleger as melhores maquetes de fotolivro e fotozine a partir de critérios de avaliação como o conceito do livro e sua relevância social, a estética e a potência da imagem fotográfica, a edição das imagens e a coerência do projeto gráfico”, explica Luciana Molisani. “Régis investiga e registra em suas imagens o que denomina ‘arquiteturas do desejo’, casas antigas num perímetro específico no centro da cidade de Fortaleza, onde residências dividem espaço com cinemas de filmes eróticos. A mineira Márcia Charnizon busca com seu trabalho romper o silêncio sobre a violência do discurso, uma violência oculta que antecede a agressão física e o feminicídio. É muito bom que projetos de regiões distintas do eixo Rio-São Paulo sejam reconhecidos”, completa a curadora.

Os projetos vencedores e os selecionados ganharam participação na mostra em formato digital no site da IMAGINÁRIA_, em exibição ainda em 2022. Já os que alcançaram o primeiro lugar em cada categoria, conquistaram uma residência artística online conduzida ainda em 2022 por profissionais da área de edição, design e produção gráfica.

Sobre a IMAGINÁRIA

A IMAGINÁRIA_festa do fotolivro surge com o objetivo de ampliar a visibilidade e a circulação de publicações de arte e fotografia, e também em discutir, refletir e fomentar a produção de fotolivros. Idealizada por Luciana Molisani e José Fujocka, fundadores da editora Lovely House, o festival tem periodicidade anual, na qual traz ao público uma programação com itinerância de exposições internacionais, ciclos de conversas, mostras de vídeos, oficinas, entre outras atividades.

Em 2022, a IMAGINÁRIA_ ocupou seis andares do Edifício Vera, no Centro Histórico de São Paulo, com mais de 25 expositores de diversos países e uma diversidade de ações.

IMAGINÁRIA_Festa do Fotolivro

Site: https://festivalimaginaria.com.br/

Email: info@festivalimaginaria.com.br

Instagram: https://www.instagram.com/festivalimaginaria/

Sobre os realizadores

Sobre Luciana Molisani (@lumolisani)

Graduada em Artes Visuais pela FAAP-SP, a paulistana é cofundadora, curadora e editora da Lovely House, editora e casa de livros especializada em artes visuais, e idealizadora da IMAGINÁRIA_festa do fotolivro. Sócia e diretora criativa na agência Irmãs de Criação, atua no mercado editorial desde 2003.

Sobre José Fujocka (@fujocka)

Uberabense, iniciou sua carreira como fotojornalista no extinto jornal “Notícias Populares”. A partir de 1993 dedica-se ao trabalho fotográfico autoral, organizando e participando de projetos artístico como o “Arte Cidade”. Ganhou diversas bolsas de estudos e prêmios de artes visuais, entre eles a “Bolsa Vitae de Artes” e “Marc Ferrez”. Nos últimos 20 anos dedicou-se à pós-produção de imagens publicitárias e artísticas. Fujocka é cofundador, curador e organizador dos eventos da casa de livros e editora Lovely House, especializada em publicação e venda de livros de fotografia e artes visuais.

Sobre a Lovely House

A Lovely House é a editora e casa de livros brasileira que se dedica à pesquisa, publicação e divulgação de livros de arte, com ênfase na fotografia e em livros de artista, nacionais e estrangeiros. Idealizada por Luciana Molisani e José Fujocka, abriga, desde agosto de 2018, publicações de editoras parceiras, selos ou autores independentes e títulos próprios, priorizando obras contemporâneas com qualidade conceitual, editorial e gráfica.