Gordon Parks: fotojornalismo, pioneirismo e os contrastes raciais nos Estados Unidos

Fotos: Gordon Parks


O norte-americano Gordon Parks (1912-2006) dizia ter crescido na meca do racismo, na cidade de Fort Scott, Kansas. O fotógrafo autodidata iniciou na carreira só em 1940, muitos anos depois se tornou o primeiro fotógrafo negro da lendária Revista Life. Parks era muito ativo na luta contra a discriminação racial e usava a fotografia para mostrar os contrastes raciais dos Estados Unidos.

Sem título de Gordon Parks, Chicago, Illinois, 1957

Uma publicação lançada recentemente traz uma abordagem da cobertura policial na década de 1950.  Gordon Parks: The Atmosphere of Crime, 1957  foi publicado pela Steidl em conjunto com a Fundação Gordon Parks e o Museu de Arte Moderna (MoMA). O diretor do MoMA, Glenn Lowry, comentou sobre o trabalho do fotógrafo: “Ele transcendeu o romantismo do filme de gângsters, o suspense dos criminosos e as descrições de criminalidade racialmente tendenciosas da época. Algo predominante na cultura popular americana”.

Detetives invasores de Gordon Parks, Chicago, Illinois 1957

O fato é que as fotos de Parks voltaram aos feeds com postagens nas redes sociais. Mostrando que esse tipo de ocorrência é de longa data. Parks publicou pela primeira vez as imagens da série em 1957, em oito páginas na celebrada revista Life : a matéria tinha o título de The Atmosphere of Crime. Curioso é notar que a obra de Parks não aparece tanto quanto a de outros colegas dessa época. Foi um fotógrafo pioneiro, considerado o primeiro a quebrar barreiras na área.

Sem nome de Gordon Parks, Nova York, Nova York 1957

Para essa série que agora ganha destaque, Parks passou seis semanas percorrendo diferentes cidades norte-americanas: Los Angeles, Chicago, Nova York e San Francisco. Ele visitava os bairros negros e explorava a documentação dos crimes nas diferentes regiões visitadas. Uma rotina de madrugadas acompanhando uma realidade sombria. Parks passou 20 anos trabalhando como fotojornalista para a Life. Para muitos especialistas, a obra dele quebrou estereótipos sobre a criminalidade que de alguma forma estavam conectados com a comunidade negra norte-americana.

Gordon Parks: "A Harlem Family," Life Magazine, 1968 | Gordon ...

Na década de 1960 esse legado criado por ele serviu para ajudar na campanha do movimento de Direitos Civis e agora retorna na onda do #BlackLivesMatter<