Fotografia e observação de Aves

Atividades organizadas por Ricardo Monti permitem os passeios com identificação dos pássaros

Ricardo Conti organiza atividades de observação e fotografia para grupos pequenos. Ele contou para a FHOX como funciona essas iniciativas para quem ama natureza e fotografar aves.

FHOX – Quais são os desafios de fotografar aves?

Ricardo Conti – Muitas aves são ariscas, do local ficam camufladas, não vocalizam, ficam pulando de galho-em-galho o que dificulta fotografá-las.

FHOX – Quando começou na fotografia?

Ricardo Conti – Comecei em 2015, nesta época eu não tinha câmera fotográfica e apenas anotava as aves avistadas em um caderninho, onde colocava o nome da ave, local e quantos indivíduos tinham da mesma espécie.Em 2017, comprei minha primeira câmera da Canon, o que tornou mais fácil identificar as aves para a pós-edição. As atividades de observação e fotografia são planejadas de acordo com o objetivo da pessoa ou do grupo, preferencialmente com no máximo 3 a 4 pessoas.

FHOX – Quanto tempo leva uma atividade dessas e onde acontece? 

Ricardo Conti – Estas atividades podem levar o dia inteiro e se estender até o dia seguinte, se o objetivo de fotografar uma determinada ave não foi alcançado.  Podem ocorrer em parques, em outras cidades e até em outros estados.

FHOX – Quais são os equipamentos necessários?

Ricardo Conti – Câmera fotográfica. Playback com os cantos de aves, muitas pessoas questionam o uso constante do playback pois podem estressar as aves.

FHOX – Quanto tempo leva uma atividade dessas e onde acontece?

Ricardo Conti – Esta atividade pode levar o dia todo, dependendo dos objetivos a serem atingidos, podem continuar no dia seguinte. O primeiro passo é definir as aves que deseja fotografar, em seguida, pesquisar os locais onde estas aves podem  através das fotos de outras pessoas postadas no aplicativo Wikiaves, desenvolvido por um brasileiro, é uma plataforma desenvolvida para que as pessoas possam arquivar as fotos tiradas, verificar se já tem uma foto da mesma ave, verificar as ocorrências das aves de um determinado local.

Foto da Sabiá-cica tirada por Ricardo Monti

FHOX – Como as pessoas podem participar?

Ricardo Conti – Inicialmente, entre em contato com alguma pessoa que já esteja cadastrada para que o novo usuário possa se cadastrar corretamente.

FHOX – Existem cursos só sobre isso?

Ricardo Conti – Não tem cursos para esta atividade, as pessoas aprendem sozinhas ou com a ajuda de outras pessoas mais experientes.

FHOX – Já fotografaram espécies raras?

Ricardo Conti – Sim, uma ave chamada “Rolinha-do-planalto”, estava desaparecida há quase 25 anos. Com o apoio de entidades voltadas para a preservação das aves, hoje esta espécie e outras já estão aumentando o número de indivíduos.

FHOX – Costumam imprimir essas fotos?

Ricardo Conti – Normalmente as pessoas não imprimem, em alguns casos, apenas para uma exposição em algum evento.

FHOX – O que você mais curte desta atividade?

Ricardo Conti – Conhecer novos lugares, novas pessoas em lugares mais afastados. Com esta atividade estamos também ajudando a movimentar a economia local através de hospedagem e refeições, muitas pessoas simples do campo a participarem com a iniciativa de cuidar das aves locais, servir refeições para os observadores de aves que passam por suas casas.

#fotografia #fotografiadeaves #fotógrafo #mercadofotográfico

0 comentário