Fotógrafo João Marcos Rosa é o novo escolhido para o seleto time da ILCP – Liga Internacional

Um e-mail da mais importante representação da fotografia de meio ambiente no mundo estremeceu a caixa postal e as emoções do fotógrafo mineiro João Marcos Rosa. E não era para menos. Ser escolhido para integrar esse seleto time já é, por si, motivo de orgulho, o feito, anunciado oficialmente dia 28 passado, se torna ainda mais especial quando a própria organização destaca ter-se tratado da convocatória mais acirrada dos últimos anos. “Para mim, é uma honra imensa fazer parte dessa organização que luta pela conservação do nosso planeta em tempos tão difíceis. Fico feliz com o reconhecimento da minha trajetória e do meu potencial por aqueles que percorreram esse caminho tão tortuoso, que é o da fotografia ligada ao meio ambiente”, afirma Rosa.

A jaguar (Panthera onca) cub with an estimated age of 4 months, relax on the water of the Trs Irm‹o river under the watchful eye of their mother. Encontro das Aguas State Park, Mato Grosso – Brazil – © João Marcos Rosa

Para se ter uma dimensão da relevância da ILCP (sigla, em inglês, para Liga Internacional dos Fotógrafos pela Conservação – https://www.conservationphotographers.org/), a entidade reúne os principais nomes mundiais da fotografia e cinema de natureza – muitos deles, referenciais e ídolos na carreira de Rosa – como David Doubilet (@daviddoubilet), Cristina Mittermeier (@mitty), Frans Lanting (@franslanting), Beverly Joubert (@beverlyjoubert), Tim Laman (@timlaman) e Jodi Cobb (@jodicobbphoto) e Joel Sartore (@joelsartore). O sentido de existir dessa importante liga, segundo a instituição,  é poder ampliar a voz desses profissionais, reunindo seus projetos e sua força em uma só organização para reverberar iniciativas locais,  gerar mais impacto e inspirar ações em rede, sempre ligadas a temas como fauna, flora, ecossistemas e aquecimento global. Tudo isso por meio de histórias visuais produzidas com ética e respeito.

© João Marcos Rosa

Criada em 2005 e com sede em Washington (EUA), a ILCP tem base em outros 26 países e hoje conta com cerca de 120 membros ao redor do mundo. João Marcos Rosa é apenas o segundo brasileiro a integrar esse time. Até então, coube ao destacado fotógrafo Luciano Candisani (@lucianocandisani) – conhecido por suas extraordinárias narrativas visuais sobre o mar, as culturas tradicionais e os diferentes ecossistemas de norte a sul do planeta – representar a potente fotografia brasileira. Na escolha anual dos novos membros, a ILCP leva em conta o perfil profissional do candidato, o primor técnico e seu engajamento junto a importantes causas conservacionistas. “Representar a fotografia do nosso país ao lado de um profissional como o Luciano Candisani é uma grande missão. Ele sempre foi uma grande referência e também um conselheiro quando precisei. Temos imensos desafios pela frente e estar ao lado dele nesse movimento é uma forma de fortalecer nossa luta pela conservação” conclui Rosa.

© João Marcos Rosa

João Marcos Rosa iniciou sua carreira como fotógrafo profissional em 1998, com olhar voltado para a cultura e a vida selvagem brasileiras. Graduado em jornalismo, especializou-se em documentar histórias ligadas à biodiversidade e à conservação. Desde 2004, colabora para a National Geographic Brasil, onde publicou dezenas de reportagens, além de outras revistas internacionais como GEO, BBC Wildlife e Terra Mater. É um dos sócios da Nitro Histórias Visuais, sediada em Belo Horizonte-MG, e autor dos livros Harpia (2010), Jardins da Arara de Lear (2017) e Diário de um Outono particular (2020). Suas missões fotográficas já o levaram a percorrer boa parte da América do Sul – do Delta do Orinoco, na Venezuela, às montanhas da Patagônia Chilena. Para além-mar já esteve fotografando em diversos países do continente Africano e em paragens distantes da Europa, como as