Como o marketing pode (e deve) ajudar na fotografia?

person holding ballpoint pen writing on notebook

100 dias de pandemia, menos trabalhos e inúmeros desafios para quem atua na fotografia. Em grupos de fotografia nas redes sociais é notável no mercado alguns perfis dos profissionais desabafando neste instante. O que fazer?

A verdade é que não existe outro caminho que não envolva o marketing. Pois estamos falando justamente da arte de atrair e manter clientes. a diferença é que agora ficou ainda mais difícil. pois antes já estava complexo. Competição acirrada em um país com crise estendida. Parecia que tudo ia melhorar e aí veio a pandemia.

Eu não preciso de marketing. Então você precisa baixar o preço. E mesmo assim sem você querer você precisa de marketing. porque preço é parte do composto básico dessa arte. Curiosamente é a medida da preguiça para atrair clientes. Se eu baixar o preço ele (o consumidor) virá. Se eu bater a oferta (do concorrente) ele (o cliente) vai fechar. a pessoa que veio pelo preço vai embora mesma forma que veio. Melhor não o chamar de cliente. Vamos chamá-lo de caçador de precinhos. Adivinha quem é a presa dele?

man holding black dslr camera

Em tempos de pandemia e crise o cliente vai em busca do mais barato? Preço é marketing. Aliás, uma parte importante do composto do marketing. O curioso é que fotógrafos costumam primeiro olhar para preço e promoção. Tenho esse preço bom para bater a concorrência e vou divulgar para vender. As fotos do seu trabalho no meio de tudo isso. Uma fotógrafa faz ensaios remotos com estilo único. Ela criou um produto que até então era uma ideia só dela. O olhar com foco no produto faz toda a diferença. O cliente nota que é a ideia do produto que o atraiu por ser algo único. Ou veio por indicação daquela pessoa que fez e curtiu o resultado. apreciou o produto.

Qual o valor do marketing na fotografia? Uma única foto atrai e vende. Passa uma mensagem e cria uma percepção. Terá menor ou maior valor dependendo de quem a vê. Então sim. Uma foto vende e é marketing. Então o que mudou? Antes poucos tinham acesso a como criar uma foto, agora todos geram imagens o tempo todo. Vivemos na era da imagem em tempo real e o vídeo não para de avançar para complicar ainda mais as coisas. Aquela foto sua que você ama é uma no meio de 1 trilhão de fotos geradas (esse número é tímido) que são geradas por ano no mundo. Ou seja, se hoje todo mundo é fotógrafo logo todo mundo é marqueteiro.

man standing near wall

Não confunda marketing com vendas. São coisas distintas. Vendas deveria trabalhar em função do marketing e não o contrário. Quando vemos um fotógrafo “muito bom vendedor” talvez ele tenha invertido essa ordem ou seja refém de vender sempre. Algo que funciona como resposta para a falta de marketing. Ações promocionais e ataque constante se tornam opções necessárias recorrentes. Nada de errado em vender. Só que o negócio fica preso a necessidade de uma nova abordagem, de ofertas e de contato constante. “eu preciso de um novo cliente”. E se eu pudesse atrair sem ter que me vender? É aí que entra o marketing. Mais fácil dizer do que fazer…