Com a torcida perto do time

Foto: Ina Fassbender


O campeonato alemão retornou em maio, mas as torcidas não podem estar presente fisicamente. Para “resolver” o problema, e ainda ajudar com as finanças, a associação de torcedores do Borussia Mönchengladbach lançou um plano no qual cada torcedor do clube vira um totem.

Segundo informações do jornal AGORA cada fotografia é feita de papelão no tamanho real dos torcedores. Os objetos são à prova d’água e vendidos por 19 euros (cerca de R$ 120). O torcedor ainda pagará mais 2,50 euros (R$ 16) como se fosse um ingresso simbólico do seu totem. A estreia vai ser no próximo sábado (23), quando Monche recebe o Bayern Leverkusen. A expectativa é grande, pois, até a última sexta-feira (15), cerca de 20 mil torcedores haviam comprado um lugar no estádio no Borussia Park, com capacidade para 57 mil pessoas. Clubes como o Corinthians e Atlético-MG e do interior paulista já estão indo para a prática e oferecendo meios para os torcedores ajudarem.

Segundo informações de jornais internacionais (de três semanas atrás) foram levantados 15 mil euros logo no começo da ação.


O torcedor ainda pagará mais 2,50 euros (R$ 16) como se fosse um ingresso simbólico do seu totem. A estreia vai ser no próximo sábado (23), quando Monche recebe o Bayern Leverkusen. A expectativa é grande, pois, até a última sexta-feira (15), cerca de 20 mil torcedores haviam comprado um lugar no estádio no Borussia Park, com capacidade para 57 mil pessoas.


Clubes como o Corinthians e Atlético-MG e do interior paulista já estão indo para a prática e oferecendo meios para os torcedores ajudarem.

A empresa de marketing esportivo Total Player, que tem parceria com vários clubes na venda de ingressos e em programas de sócio-torcedor, colocou em prática a promoção “Eu no Estádio”.


Os totens são confeccionados para um, dois, três e cinco torcedores. Os preços variam de R$ 30 a R$ 90. Quando for liberada a presença de público, eles poderão levar o objeto para casa.

“O que foi feito na Alemanha nos inspirou, mas nós já vínhamos pensando em alternativas para chamar o torcedor a participar, mesmo ainda sem saber quando os torneios vão recomeçar”, afirmou o ex-jogador Paulo Jamelli, um dos sócios da Total Player.