As tendências em marketing e negócios para 2020 (que também devem impactar quem vive da fotografia)

Nessa época do ano os negócios mais preparados (sejam fotógrafos, laboratórios e a própria indústria) já tem seus planos traçados, lição de casa feita no último trimestre de 2019. Claro, planos mudam, mas o importante é ter um mapa de ações para o ano que começa. De forma concreta, pesquisei nos melhores canais de informação e negócios as práticas que serão apostas das principais marcas do mundo. Obviamente o marketing digital será a grande aposta nesse sentido. As informações abaixo trazem dados de canais de notícia respeitados daqui e de fora e que podem te ajudar de alguma forma no seu mapa de negócios com fotografia em 2020. Só uma observação: são ações ou tendências que valem para a fotografia de uma forma geral. Só não fique tão preso nas tendências pois o clássico segue valendo: cuidar bem do cliente e ter um produto incrível continuam gerando indicações e marketing da melhor qualidade. Aquela velha história: clientes satisfeitos geram boca a boca.

As 6 tendências de marketing digital segundo Erica Queiroz, conteúdo publicado por ela no site StartSe, canal voltado para startups e marketing. Coloquei na íntegra com link para o post dela. Fiz comentários abaixo de cada ponto abordado por ela olhando para a nossa realidade da fotografia.

  1. Marketing Conversacional

Marketing conversacional é, segundo a Drift, “a maneira mais rápida de levar os compradores pelos funis de marketing e vendas, por meio do poder das conversas em tempo real. Ele cria relacionamentos e experiências autênticas com clientes e compradores.”

As pessoas querem respostas rápidas, então quanto mais rapidamente a sua empresa respondê-las, maiores as chances de conversão. Quando a sua empresa tem esse contato um a um, cria uma personalização. E é isso que as pessoas vêm buscando cada vez mais: elas querem respostas únicas para as suas necessidades exclusivas. E respostas imediatas.

Os três passos principais do marketing conversacional são engajar os leads com conversas, e não com formulários extensos; entender o que eles querem rapidamente, e recomendar os próximos passos corretamente, para movê-los pelo funil de vendas, rumo à conversão.

Os chatbots são uma ótima opção para o marketing conversacional, pois estão disponíveis 24/7. Mas o final do processo deve se dar pela interação com um humano, porque a máquina ainda não possui uma relação totalmente humanizada para oferecer. Quem sabe em breve?

Meu comentário: excelente material que mostra a importância de gerar conversas. No marketing 4.0 promoção (divulgação) é conversa. Logo tem tudo a ver com o que ela diz. Só cuidado com as mensagens automáticas e robozinhos. Nós mesmos da FHOX fizemos uma experiência com Chatbots e não foi tão bacana assim. Passa uma imagem fria e automática. Creio que vale o mesmo para DMs no Instagram e outros meios de enviar contatos pelo WhatsApp e afins. Melhor cuidar de caso a caso e mostrar que você quer conversar com cada um. Até porque estamos falando de um negócio de emoção em que pessoas compram pessoas. Um robô de atendimento é um muro que divide você dos seus clientes nesse sentido. Isso vale para fotógrafos, lojas de foto e até para a nossa indústria. Queremos atendimento humano e mais próximo. Ouvi uma frase ótima outro dia sobre o assunto: marketing é se importar e cuidar das pessoas.