“Achamos muito boa a ideia de um novo calendário para a Fotografar 2020”, diz Albumgraf

Em comemoração ao aniversário de 30 anos da Fhox em dezembro passado – fomentando negócios no mercado fotográfico – temos conversado com algumas marcas parceiras para conhecer seu ponto de vista em relação às mudanças que o setor tem sofrido (impresso e digital), além das perspectivas para 2020 em relação à economia e ao mercado.

Marcelo F. Rainho, Diretor Comercial e Jurídico da Albumgraf, empresa que se apresenta como plataforma web-to-print na qual é possível que o cliente monte, de forma autônoma, seus produtos personalizados (fotos digitais), conversou conosco e destacou que essa parceria com a Fhox reflete “muito respeito e profissionalismo”.

Essa conversa ocorreu justamente neste momento de pandemia no qual o Brasil tem passado por conta do novo coronavírus (COVID-19) e não à toa, nossa primeira dúvida foi em relação às medidas de prevenção em relação a seu corpo de funcionários e operações e ações que a empresa tomou ou tem tomado para continuar atendendo bem seus clientes.

“Nós estamos disponibilizando álcool gel; nosso time está trabalhando a distância, remoto. Não temos até o momento nenhum caso sintomático na equipe. Sabemos bem da responsabilidade tanto com a saúde quanto com o mercado e por enquanto, temos serviços até junho porque sempre trabalhamos com planejamento e programação. O contato com nossos clientes permanece e temos pedido para que eles enviem suas demandas, para produzirmos e deixarmos em estoque. Quando essa situação se normalizar (e esperamos que seja em breve), essas empresas poderão retomar o faturamento da venda de álbuns de fotografia”, explica.

Além disso, a empresa também se mostra solícita com os clientes no quesito renegociação de prazos para pagamento. “Os clientes que realmente tiverem dificuldades para realizar seus pagamentos em razão do quadro atual, nós estamos prorrogando, renegociando um a um. Temos bons parceiros e bons clientes e sentimentos que todos estão empenhados em ajudar um ao outro”, completa.

Há sete anos dispondo em seu site da opção de impressão de fotos 10×15 para formatura e casamento e oferecendo a criação de álbuns on-line, a Albumgraf oferece uma gama variável de produtos gráficos e fotoprodutos, trazendo sempre boas novidades para seu cliente.

Sobre as oportunidades existentes no mercado fotográfico, Rainho se mostra otimista e confiante. “Visualizamos um aumento crescente pelo mercado consumidor em compras on-line; enxergamos um momento de investir, de saber aproveitar bem as oportunidades”, diz.

Embora a Albumgraf exista há sete anos (e seja a marca conhecida por ocupar um stand na Fotografar), é importante saber que ela nasceu da Record Álbum (gráfica) e que esta possui sólida existência: 30 anos no mercado.

Hélio Jorge Costa Figueiredo foi seu fundador, no final da década de 80, e não à toa, ele instituiu um padrão de design trazido da Itália aos estojos fotográficos existentes no Brasil, o qual predomina até aos dias atuais, os chamados “estojos italianos” – que têm como detalhe os cantos arredondados.

Em agosto de 2018, Marcelo F. Rainho relança a marca Record Álbum, objetivando ampliar a rede de atuação, por meio da introdução de estojos personalizados, para fomentar o setor fotográfico. Lançou também brindes e caixas direcionadas à indústria de produtos em geral. E o trabalho tem sido constante e árduo.

Álbum de Formatura. Foto: Albumgraf.



Mudanças no mercado

Ao ser questionado sobre como enxerga o mercado da fotografia impressa e digital nos próximos anos, Rainho é assertivo. “Entendemos que o mercado digital é uma realidade presente e que veio para ficar. O consumidor tem muita ligação com as tecnologias e o avanço constante dela. Isso gera oportunidade para a venda impressa, já que passa a ser um produto não tão visto no dia a dia em lojas. Temos hoje a visão de que ambos os serviços – digitais e impressos – se complementam e acreditando que podemos estar inseridos neste mercado. Estamos investindo nossos esforços e capital nesta direção”, explica.

Sobre a mudança da Feira Fotografar deste ano para a Oca, no Parque do Ibirapuera, bem como a data para o mês de agosto, Rainho aposta com entusiasmo. “Sempre vamos à Feira e atendemos ao mercado B to C. Achamos muito boa a ideia de um novo calendário e novos ares em relação ao espaço. Creio que deveria mudar a cada dois anos, a fim de mostrar aos que vêm de fora, locais diferentes, unindo negócio com turismo”.