A polêmica do 1º Prêmio MTD de Fotografia

O Movimento Territórios Diversos (MTD) é uma associação cultural sem fins lucrativos, fundada informalmente em 2013. Entre o final de janeiro e começo de fevereiro organizou 1º Prêmio MTD de Fotografia. Infelizmente o evento ficou marcado por uma discussão sobre a autoria de uma das fotos classificadas como finalistas do prêmio.

O objeto de discussão foi uma imagem enviada pelo fotógrafo Leonardo Cossatis. Assim que a foto foi publicada nas redes sociais pela organização, a também fotógrafa Maria Di Andrea Hagge acusou Cossatis de plágio. De acordo com Hagge, a foto foi tirada de um trabalho seu, feito em 2013.

O MTD após uma suspensão inicial da foto para investigação, inicialmente julgou que não haveria problemas com a inscrição. Isso se deu em nota publicada no dia 19 de fevereiro. Contudo, na última quinta-feira, dia 21, a organização soltou novo comunicado, na qual reviu sua posição e desclassificou a participação de Cossatis do prêmio.

Para entender o que aconteceu, conversamos com ambos os envolvidos e fomos atrás da história por trás dessa foto. E voltamos até o dia no qual a foto foi tirada.

Projeto Lambe-Lambe

Maria di Andrea possui um projeto que mistura fotografia com teatro, o “Lambe-Lambe – Sonhos Ambulantes”. Sua ideia é trazer de volta o papel os antigos fotógrafos lambe-lambe, que trabalhavam com aquelas máquinas gigantes e impressões instantâneas.

Ao final de cada espetáculo do teatro fotográfico, uma exposição varal é realizada e todos os retratos-sonhos são expostos para que o respeitável público possa aproveitar mais um instante mágico dessa performance. E só aí cada freguês leva para sua casa numa linda moldura seu retrato-sonho como lembrança de um dia inesquecível do teatro perambulante Lambe-Lambe- sonhos ambulantes.”

Em julho de 2013 Hagge foi convidada para levar seu projeto para Sepetiba, zona oeste do Rio de Janeiro. “Levando em consideração o legado deixado pelos reais fotógrafos lambe-lambes, onde a função social da fotografia é muito importante, eu topei o convite sem hesitação.

[media-credit name=”Andrea Di Maria Haggi” align=”alignnone” width=”1024″]

Prêmio

Foram as duas produtoras locais [Ailime Cortat e Michele Bileu] do meu projeto em Sepetiba que convidaram o fotógrafo e amigo delas de bairro pra fotografar o backstage da minha performance. Ele aceitou o convite. Toda a realização dessa intervenção para a comunidade de Sepetiba foi voluntária.”

“Ver a fotografia do casamento de Sepetiba, o retrato-sonho que eu arrumei junto com a figurinista, os personagens pra essa fotografia. Dirigi toda a cena, cada detalhezinho dessa foto eu pensei antes do instante decisivo. [Quando] vi a foto finalista em um concurso de fotografia, eu literalmente pirei”.

Assim Maria acionou a organização do Prêmio para que a classificação da foto fosse revista. Outros profissionais também se engajaram ao lado da fotógrafa, exigindo que o MTD revisse esse caso classificado como plágio — algo muito sério em qualquer tipo de concurso.

Inscrição e polêmica

Leonardo Cossatis foi de fato chamado para cobrir o evento. Ele confirmou que estava no local para registrar toda a ação da Maria di Andrea a convite das organizadoras. “Nesse dia também fui fotografado pela fotógrafa do projeto e fotografei ela também”.

Conheci Maria naquele dia, assim como o projeto dela. Eu acompanhei toda a montagem, fotografei até as pessoas escolhendo as roupas”. Cossatis ressalta que, no dia que a foto foi selecionada pela MTD, a descrição da imagem mencionava todas as pessoas envolvidas.

Perguntamos então para Leonardo o porquê da escolha específica da foto e sua reação após a acusação. “Sobre a imagem escolhida há um ponto que precisa ser esclarecido: essa foto fazia parte de um conjunto de nove fotografias selecionadas. Algumas de momentos pessoais de família. Algumas feitas em saídas fotográficas e algumas feitas durante trabalhos. Eu não sabia qual delas seria selecionada.

Eu fotografei o dia inteiro ao lado dela [Maria], me movimentei por toda a cena. Trabalhei por mais de 10 anos cobrindo feiras e grandes eventos ao lado de outros profissionais e nunca havia passado por algo assim.” Cossatis afirmou que quando a foto foi selecionada como finalista, os créditos foram dados a todos os envolvidos.

“Quando acordei havia muitas mensagens. A fotógrafa me marcou em publicações