A Pandemia no Canadá

Por Eliane e Marcos Pellegrini

Cada cidade em específico vive de acordo com as suas regras separadamente.

Estamos na Capital do Canadá e por aqui existem restrições bruscas, como multas altas e detenção para quem não segue as regras e por isso sempre temos que ficar atentos com as notícias para não falhar e sermos pegos de surpresa.

A secretaria de saúde de cada província faz as medições da quantidade de infectados e a cada 2 ou 3 semanas podem ser divulgadas novas regras através do pronunciamento do Primeiro Ministro.

Então a nossa agenda de trabalho segue e depende dessas “novas” regras referente a pandemia mais as previsões meteorológicas. 

Nesse período de um pouco mais de um ano de pandemia vivemos meses de lockdown em que algumas semanas liberaram parques permitindo para eventos externos até 10 pessoas, outras semanas até 25 pessoas, outras semanas liberaram 10 pessoas do lado interno e mais 10 pessoas do lado externo, outras semanas não poderia acontecer nenhum tipo de encontro.

Por aqui ou você segue as regras ou você arcará com as consequências → não existe a opção “eu vou dar um jeitinho”

Aqui na capital a experiência do fotógrafo conta muito, a maioria dos clientes querem praticamente um dossiê sobre você e sua empresa e hoje vivendo em período de pandemia eles querem sentir segurança com o profissional, não é apenas o orçamento que está em jogo.

Para os eventos de casamentos que envolveriam no máximo 25 ou 10 pessoas, adotamos fazer a quarentena de 14 dias para poder agendar um novo cliente.

Para os trabalhos sempre estamos com álcool em gel, cuidamos da limpeza deixando com que tudo fique impecável e fazemos questão que os clientes vejam que estamos sendo cuidadosos. 

Eu não posso marcar um trabalho seguido de outro, existe sempre o período de 14 dias e eles querem saber sobre isso. Note que isso foi algo que adotamos para o nosso trabalho e não uma regra, mas os clientes ao saberem sobre isso ficam confortáveis em nos contratar.

Nas redes sociais temos que tomar um imenso cuidado com as postagens para não ofender as pessoas que são totalmente contra os trabalhos realizados durante a pandemia. Tem sido impressionante a quantidade de cautela que devemos ter nesse novo mundo que estamos vivendo.

Alguns casamentos foram remarcados para esse ano, mas ainda não sabemos como funcionará exatamente porque ainda estamos no inverno e sabemos que novas regras entrarão em vigor assim que chegar a primavera.

Por aqui a maioria dos casamentos acontecem entre maio e  outubro, então de novembro até abril são meses com eventos internos devido às temperaturas negativas. 

Vou compartilhar com vocês a primeira história sobre um casamento agendado para o mês de agosto, seria externo com lago e árvores e com a quantidade reduzida para 25 convidados.

Na semana do casamento houve o pronunciamento do Primeiro Ministro reduzindo para 10 pessoas os eventos externos e eu fiquei imaginando como ficou o psicológico da noiva em ter que reduzir para 10 pessoas o que já havia sido reduzido para 25 pessoas devido a pandemia.

Para ajudar, na semana do casamento houve aviso de tornado e acredito que todas essas informações deixaram a noiva com o coração aflito, porque além de alterar a quantidade de pessoas teria que alterar o local para um ambiente fechado e em cima da hora.