A evolução e transformação da fotógrafa Bruna Veratti

Profissional que começou na fotografia newborn e de família se reposicionou e agora atua em nova fase com foco em retratos femininos e corporativos

A fotógrafa Bruna Veratti atua em São Paulo e passou por um processo de reposicionamento do negócio. Da fotografia de bebês e família para retratos femininos. Uma proposta sofisticada que envolve consultoria de imagem e também analisa as cores para cada pessoa. No fim, nessa nova fase ela também ajuda as clientes a reposicionarem e valorizarem suas próprias imagens. Conversamos com ela sobre a carreira, os desafios do último ano e sobre fotografia. Bruna Veratti Fotografia (@brunaverattifotografia) • Fotos e vídeos do Instagram

Bruna Veratti em ação. Mercado de retratos só tende a crescer

Como foi sua trajetória na fotografia? Conte um pouco de você?

Desde pequena a fotografia é algo muito importante na minha família. Todas as viagens, festas e férias sempre foram registradas e impressas em álbuns que até hoje admiramos. Apesar disso, eu só tive interesse em comprar minha primeira câmera após uma viagem que fiz a trabalho para a China em 2008 para organizar um evento da revista EXAME (na época eu trabalhava na Editora Abril como coordenadora de eventos). Quando retornei meu álbum recebeu muitos elogios inclusive de diretores de arte da revista. Com isso, me matriculei em um curso básico, mas não tinha coragem de largar um emprego para tentar uma aventura neste segmento.

No fim, a vida deu o pontapé que eu precisava. Em 2010 saí da Abril após uma reformulação da equipe, e me dei um prazo de 10 meses para tentar algo em fotografia. Para isso fiz um curso profissionalizante no IIF (Instituto Internacional de Fotografia) e conheci a fotografia newborn através da Danielle Hamilton. Me encantei com a sensibilidade deste estilo e fiz inúmeros cursos na área. Após um período fotografando na casa dos clientes abri meu estúdio e no ano de 2015 tive a honra de ser convidada a atuar como diretora da ABFRN (Associação Brasileira de Fotógrafos de Recém-nascidos) substituindo uma das fundadoras que precisou se afastar, onde permaneci até 2018.

Neste período comecei a sentir que algo ainda não estava completo no meu trabalho. Adorava fotografar as gestantes e bebês, mas não me identificava totalmente com aquela realidade. Foi quando me interessei pela fotografia de retratos, especificamente de mulheres, e percebi que era possível oferecer algo diferenciado e especial.

Me apaixonei pelo trabalho da fotógrafa neozelandesa Sue Bryce e me inscrevi no seu programa de ensino à distância. Consegui aprender vários aspectos de como valorizar uma pessoa em um retrato, questões de iluminação, ângulos, e especialmente poses. Acredito que hoje este é um dos pontos mais fortes no meu trabalho.

Em 2018 passei por um processo de consultoria de imagem e isso abriu meus olhos para a importância que nossa imagem tem em vários aspectos da nossa vida. Um dos processos da consultoria é a análise de coloração e fiquei encantada em como as cores influenciam a nossa fisionomia e fotogenia, por isso incorporei este serviço no meu estúdio.

Ouço constantemente minhas clientes falarem que não se gostam em fotos ou que não são fotogênicas e isso tem totalmente a ver com a forma como a mulher se vê. Hoje considero que meu trabalho vai além da fotografia. Considero uma forma de ajudar as mulheres a se olhar de outra forma, e se redescobrir através das fotos.

Como lidou com esses últimos 12 meses?

Foi um período de profunda adaptação, pois a fotografia exige o trabalho presencial. Como muitas clientes precisam de fotos constantemente para alimentar suas redes sociais, oferece a possibilidade de tratar as fotos que elas faziam com o celular, editar vídeos e fazer o atendimento de análise de coloração online (que eu já oferecia antes mesmo da pandemia). Isso foi essencial para me manter durante os 4 meses em que ficamos totalmente reclusos em casa (março a junho/2020).

Em agosto inaugurei meu novo estúdio no Espaço Duas Marias, que é um local destinado à autoestima e autoconhecimento da mulher, onde estão associadas a consultoria de imagem e a fotografia. Com isso os atendimentos foram reiniciados com toda segurança e cuidados que este momento exige.