Esportes 2 semanas atrás | Redação

Fotógrafo clica rotina de treino de meninos boxeadores de Havana, em Cuba

O trabalho acabou premiado na categoria Esportes dentro do POY Latam, um dos prêmios de fotografia mais importantes entre ibero-americanos

por Revista FHOX

A especificidades naturais, políticas, sociais e geográficas de Cuba fazem de sua capital, Havana, um prato cheio para que fotógrafos encontrem histórias únicas para serem contadas através de suas imagens. Com o paranaense Henry Milleo não foi diferente. Em 2015, ele foi atrás de registrar o universo das academias de boxe na capital cubana.

Boxe-10Henry Milleo

A tradição do esporte pelo país, no entanto, fez com que diversas academias se tornassem tão célebres que se viraram pontos de peregrinação turística, com direito a cobrança de entrada. Henry queria encontrar algo mais autêntico para clicar. E foi assim, quase que sem querer, que ele descobriu o ginásio Niños de Cuba, que veio a se tornar matéria-prima para o ensaio Garotos Boxeadores Cubanos.

“Eu estava caminhando por uma rua da periferia de Havana quando passei em frente. Era um terreno baldio, espremido entre dois prédios e fechado com uma cerca de madeira e metal corrugado. Encontrei com o treinador, que estava fechando o local e marquei de voltar no dia seguinte, no horário de treinamento”.

Boxe-8Henry Milleo

Henry esperava o que normalmente se vê nesse tipo de contexto mas, no dia seguinte, quando foi apresentado aos atletas, ele se surpreendeu. “Eram quatro garotos, de idade entre 6 e 10 anos. Os garotos levam os treinamentos a sério. É diferente de outros tipos de esportes que têm escolinhas, onde há um ar de descontração e camaradagem. Nessa academia os garotos eram focados, prestavam atenção e seguiam à risca o que o treinador falava. As risadas e brincadeiras ficaram para a rua.” A seriedade e a importância do esporte na vida dos garotos é a força motor por trás do impacto das fotos de Henry.

O trabalho de Henry com os meninos boxeadores de Cuba acabou premiado na categoria Esportes dentro do POY Latam, um dos prêmios de fotografia mais importantes entre ibero-americanos. “Ter um resultado positivo é uma forma de saber que o trabalho que fiz ou que venho fazendo está seguindo um caminho que eu acredito ser interessante”, disse o fotógrafo, que não vê a hora de voltar para Havana para levar novas luvas para os garotos, que treinam com luvas velhas ou grandes demais.

Notícias relacionadas