Por Mozart Mesquita
É jornalista da Revista FHOX e diretor da Feira Fotografar. mozart@fhox.com.br

Um museu para a fotografia brasileira

Na abertura do museu, grandes nomes da fotografia brasileira estavam presentes e mostraram sua satisfação; a FHOX também conferiu a inauguração

por Revista FHOX Publicado há 5 meses atrás | por Mozart Mesquita

Graças à paixão do colecionador Silvio Frota, Fortaleza inverteu a lógica do predomínio do eixo Rio-SP, ganhando um espaço que deixou fotógrafos de renome orgulhosos e que merece a visita de quem ama fotografia.

Steve McCurrySteve McCurry

Nove anos. Esse foi o tempo necessário para que a famosa foto da afegã Sharbat Gula, de Steve McCurry, ganhasse a companhia de mais de 2.500 outras imagens numa coleção feita de forma impressionantemente rápida e que agora tem um museu para que possa ser fruída, não só pelos donos da coleção, mas por todos.

museu-da-fotografia-man-rayMan Ray

A foto de McCurry não desperta grande interesse da comunidade fotográfica, nem de jornalistas que conhecem fotografia, mas para o leigo, está para o novo museu como a Monalisa para o Louvre. É inegável que seja uma foto famosa, capa de National Geographic, dessas que todo mundo já viu, e talvez seja o charme de tê-la disposta em destaque nas paredes do novo museu, onde simboliza a isca que fisgou primeiro Silvio, o atraindo para o colecionismo de fotografias. Foi sua primeira aquisição. E mesmo sendo de um autor polêmico (que recentemente foi criticado por manipulações grosseiras no Photoshop), ela simboliza algo muito importante e que diz tudo sobre o museu e a coleção que o originou: quem a comprou gosta dela! “Não compro aquilo de que não gosto, não tem uma foto aqui que eu não goste muito”, explica Silvio durante a coletiva que encerrou visita guiada a um grupo de jornalistas que vieram de diferentes regiões para conhecer o novo espaço.

Pablo de Júlio, Silvio Frota e Joaquim Paiva na Inauguração do Museu de FotografiaMozart Mesquita
Pablo de Júlio, Silvio Frota e Joaquim Paiva na Inauguração do Museu de Fotografia

Não só jornalistas, é verdade. Estavam lá também figuras decisivas na formação da coleção, como Pablo di Giulio, fotógrafo e galerista, que segundo suas contas, “deve ter intermediado cerca de 600 aquisições”, ou quase 20% da coleção. O fotojornalista carioca, radicado em Porto Alegre, Carlos Carvalho, responsável pelo FestFotoPoa, importante festival nacional de fotografia, também ouviu a coletiva e com ele, o precursor, no que tange a se apresentar como um grande colecionador de fotografias no Brasil: o diplomata Joaquim Paiva. Joaquim e Silvio formam uma dupla de peso e merecem ser louvados. Quiçá mais empresários, diplomatas, artistas e personalidades enveredem por esse caminho, valorizando ainda mais a arte fotográfica no País.

museu-da-fotografia-dorothea-langeDorothea Lange

Impossível não haver inúmeras polêmicas em torno da figura de um colecionador que age com tanta ousadia quanto Silvio agiu. Mas nada importa mais do que o fato de o País passar a ter um museu dedicado à fotografia numa capital nordestina, sendo inaugurado no ápice de uma crise histórica no País. Os desafios são imensos: climatização numa cidade quente e úmida, conservação, mão de obra especializada, reserva técnica, manutenção e curadoria, para ficar apenas nos mais óbvios e imediatos. Nada que pareça abalar o ímpeto de Silvio, que é empresário do setor de construção. “É nossa obrigação fazer algo que permita que mais pessoas possam usufruir dessas obras”, resume ele, deixando claro que o museu está aberto à iniciativa privada e lamentando a situação que alguns equipamentos mantidos pelo poder público se encontram. O fato é que pela qualidade do trabalho em torno da construção do Museu da Fotografia de Fortaleza, parece bem mais simples que ele, pela própria gestão profissional, consiga atrair investimento privado para a iniciativa.

museu-da-fotografia-horst-p-horstHorst P Horst
museu-da-fotografia-martin-chambiMartin Chambi

O desafio da escolha das fotos que inauguram o espaço:

Silvio escolheu o curador Ivo Mesquita para a árdua missão de organizar a primeira exposição da coleção no espaço. Famoso pela ousada opção de deixar um andar inteiro vazio na Bienal Internacional de São Paulo em 2008. Árdua, não porque faltem imagens incríveis nas aquisições de Silvio, muito pelo contrário, mas porque se trata de escolhas com um objetivo sobre uma coleção baseada em escolhas subjetivas. Em quase uma década de compras, Silvio, que até se deparar com a foto da afegã colecionava artes plásticas, comprou muita foto e comprou rápido.

museu-da-fotografia-marcel-gauterrotMarcel Gauterrot

Durante a visita guiada pelas mais de 300 fotos expostas, fez questão de frisar aos jornalistas que evita comprar fotos avulsas, buscando ensaios, exposições completas e séries. Isso por si só já introduz enorme desafio à tarefa curatorial.

museu-da-fotografia-gabriel-chaimGabriel Chaim

Dentre suas predileções estão o fotojornalismo, o temário das guerras, das manifestações populares recentes no Brasil e Silvio não se furtou a defender seu apreço ao se deparar com uma foto de Vitor Dragonetti, a qual fez questão de comentar sua beleza dramática, na frente do jovem fotógrafo também presente. O fator ensaio parece ser algo que será muito explorado no novo museu. A própria presença de muitas exposições completas vai permitir isso. É impossível concordar com todas as escolhas de Ivo, porque gosto não se discute, mas é inegável alguns acertos poéticos como a sala da infância, que certamente atenderá muito bem a missão que o museu está se impondo de receber escolas da capital e do interior cearense.

museu-da-fotografia-mario-cravo-netoMario Cravo Neto

Outro espaço, este dedicado a Chico Albuquerque, um dos grandes nomes da fotografia brasileira e precursor da fotografia publicitária no País, também caiu como uma luva. Nessa trajetória ficaram no ar alguns dos valores que o novo espaço pretende explorar: a educação, a acessibilidade, o respeito à cultura e à diversidade.

Deleite dos fotógrafos:

Na abertura do museu, grandes nomes da fotografia brasileira estavam presentes e mostraram sua satisfação. “É muito bonito ver algo assim acontecendo, é um espaço nobre e será muito importante no desenvolvimento da fotografia brasileira”, opinou Cassio Vasconcellos. “Um marco”, disseram muitos, celebrando a chegada em grande estilo de mais um espaço que possa escoar a produção autoral brasileira.

Notícias relacionadas