Por Alexandre Urch
Fotógrafo paulista. Seu trabalho é focado na fotografia autoral, onde se destaca a apropriação de imagens do cotidiano que buscam tornar o invisível e ordinário visível para todos. contato@alexandreurch.com.br

Por que você fotografa?

por Revista FHOX Publicado há 1 ano atrás | por Alexandre Urch

urch-1

Maio de 2016. Aqui me encontro escrevendo estas linhas para a minha coluna no site da Revista FHOX. A mesma revista que eu esperava, ansiosamente por, chegar para ler, quando trabalhava em um laboratório fotográfico em São Paulo.

E já estreio esta coluna com uma pergunta: Por que você fotografa?

Estou caminhando para 15 anos de fotografia e esta pergunta sempre está presente no meu dia a dia, não só em forma de provocação, mas também como inspiração para eu sempre pensar na razão de ter apertado o botão da minha câmera.

A resposta é muito pessoal e cada um tem o seu motivo. Mas é justamente esta resposta que pode determinar o seu sucesso ou fracasso fotográfico. Muitas vezes, é sabendo desta resposta que se separa um fotógrafo mediano de um grande fotógrafo.

Para mim, a fotografia é dividia em momentos. O primeiro é o estudo do tema, que é a hora que decidimos o que queremos fotografar e nos aprofundamos no assunto; o segundo é técnico, que envolve a escolha do equipamento e técnica para produzirmos nossa fotografia; e o terceiro é o resultado da aplicação dos outros dois momentos e do ato de fotografar. E é neste terceiro momento que a pergunta feita lá em acima precisa ser processada em milésimos de segundos pelo fotógrafo, pois ela determinará a hora apertar do botão. Esses momentos não são e não funcionam como uma regra, mas sim como um fio condutor para nos guiar na hora de fotografar.

Muitas vezes apertamos o botão por uma bobagem qualquer, num momento de lazer, mas mesmo assim essa fotografia gerada tem uma importância, seja pessoal ou não.

Após muitas fotos e muitos anos de trabalho, já sei minha resposta: eu fotografo não para o presente, para o agora, mas para um futuro, não muito próximo, para que cada foto minha tenha um teor documental da época em que vivo, das suas mudanças e, principalmente, da forma como vejo este tempo.

A foto que ilustra esta coluna é um exemplo disso, foi feita no Elevado Costa e Silva no centro de São Paulo, um local dominado por automóveis que aos poucos tem dado lugar às pessoas aos fins de semana e feriados. Um lugar que comecei a explorar desde 2006, quando ele era fechado ao trânsito durante a madrugada e aos domingos.

Hoje, quando fotografo por lá, é nítida a mudança, não existe mais placa de propaganda nas empenas (parte superior das paredes externas) dos prédios, elas foram trocadas por grafites que tornam o elevado uma verdadeira galeria a céu aberto. O asfalto é tomado por adultos e crianças e até mesmo no seu apelido, Minhocão, houve uma mudança, hoje é conhecido por Parque Minhocão.

É poder vivenciar esse tipo de mudança que me motiva a fotografar, que me inspira.

Mas, e você? Por que você fotografa?

Notícias relacionadas