Paddle8: um marketplace online para a nova geração de colecionadores

por Revista FHOX Publicado há 8 meses atrás | por Leo Saldanha
overviewPage
escritória da Paddle8 em NY

Li sobre essa empresa em um das últimas edições da Fast Company. A Paddle8 (de NY) é um site de leilão totalmente digital e voltado para os jovens. Daqueles que curtem e valorizam arte e querem começar uma coleção. A diferença do Paddle8 para outros sites semelhantes está na abordagem dos valores intermediários e da proposta mais acessível. Eles já leiloaram obras de Basquiat por 50 mil dólares e outras peças baratas na casa dos 200 dólares.

2015-07-24-1437701228-7347217-Paddle8_DesktopMobile_HIRES

Os donos e fundadores do projeto são Alexander Gilkes, Osman Khan e Aditya Julka. A variedade de itens disponíveis é grande. Desde capacetes banhados a ouro, prints e claro, fotografias. Aqui cabe ressaltar, a coleção fotográfica aberta para lances é considerável com nomes de peso como Walker Evans, Gordon Parks, Mapplethorpe, Vivian Maier e outros. A empreitada vem obtendo tanto sucesso que ano passado o empreendimento recebeu aporte de mais de 30 milhões de dólares do artista Damien Hirst e do galerista David Zwirner.

Walker Evans. Disponível para lances na Paddle8
Walker Evans. Disponível para lances na Paddle8

Untitled-2

A matéria diz que outro alvo da Paddle8 são os millennials endinheirados. Segundo estudo da Futuresource seriam mais de 6 milhões deles só nos Estados Unidos com renda anual de 100 mil dólares. Khan, um dos donos, diz que a ideia é que hoje um jovem compre uma peça de mil dólares e que daqui alguns anos possa comprar algo que valha milhões. Uma das estratégias para atingir esse grupo são as vendas temáticas e o suporte de celebridades, especialistas de moda e design, além de curadores respeitados. Esses influenciadores guiam os compradores de arte e ajudam no processo da formação de suas coleções. Ajudam sobretudo a inspirar os novos colecionadores na criação de suas próprias coleções. Um exemplo: Grace Coddington (lendária diretora criativa da Vogue) foi curadora de um leilão com fotos de nu de Annie Leibovitz e Mario Testino. Já a apresentadora Ellen DeGeneres preferiu leiloar peças decorativas e obras que inspiraram sua decoração de casa. E quanto ganha a Paddle8? ). O comprador paga 20% de comissão para Paddle8 e o vendedor deixa 8% com a empresa online

Vivian Maier
Vivian Maier. Disponível para lances na Paddle8

Paddle8 se diz a casa de leilão do século XXI. A grande questão: será que esse tipo de iniciativa está dando certo e tem futuro? A resposta para a primeira pergunta é sim , vai muito bem. Primeiro por aparecer em destaque em uma das principais revistas de negócio norte-americana. Segundo, eles faturaram 70 milhões de dólares com esses leilões só no ano passado (o dobro de 2014). Contudo, a resposta sobre o futuro não parece assim tão simples de responder. Basta observar que o ambiente competitivo promete ficar cada vez mais concorrido. Note que Sothebys e Christies já entraram nesse mercado de leilões digitais. A briga daqui para frente promete ser das boas. Espero que inspire ideias como essas por aqui. Será que alguém encara?

Os fundadores da Paddle8. Casa de leilão do século XXI
Os fundadores da Paddle8. Casa de leilão do século XXI – foto: The Observer

Notícias relacionadas